sexta-feira, 13 de junho de 2014

E SÓ AGORA PENSO

E só agora penso:
porque é que nunca olho quando passo defronte de mim
mesmo?
para não ver quão pouca luz tenho dentro?
ou o soluço atravessado no rosto velho e furioso.
agora que o penso e vejo mesmo sem espelho?
─ cem anos ou quinhentos ou mil anos devorados pelo
fundo e amargo espelho velho:
e penso que só olhar agora ou não olhar é finalmente
o mesmo.

Herberto Helder
In "A Morte sem Mestre"
Porto Editora
2014

1 comentário:

  1. Chega uma idade em que todos pensamos isto, sejamos ou não poetas...

    ResponderEliminar